quinta-feira, 12 de abril de 2012

O CREDO DOS ANCIÃOS (Bruno Raphael Matos)



"1 - Há um único Deus Vivo e verdadeiro"


2 - "Os atributos de Deus são as qualidades, elementos e perfeições que Lhe pertencem. Eles Lhe pertencem e são parte de Sua natureza divina - não que todo o Seu ser consista de combinação dos mesmos, mas porque eles são as formas e expressões do Seu ser, o qual Ele tem revelado ao homem" O CREDO DOS ANCIÃOS


3 - "Esses atributos são Naturais e morais. Os atributos naturais revelam Sua existência como um espírito infinito e racional; isto é, auto-existência, liberdade, onipotência, onipresença, onisciência, sabedoria. Os atributos morais são: Santidade, justiça, bondade, amor, graça, misericórdia e verdade." 


4 A- "Como conhecido ao homem na Terra, Deus é espírito invisível, a quem nenhum homem viu nem pode ver. Ele é eterno e auto-existente. Ele cria seres com imortalidade, mas Deus somente é possui eternidade. Ele é infinito, enchendo todo o espaço no universo inteiro, abrangendo todos os mundos. " 
4 B - "Ele é onipresente, isto é, infinito em poder; mostrado através de todas as Suas criações desde a infinitamente grande à infinitamente pequena. Todos os Seus atos são feitos pelo exercício de Sua volição, e são vistos pelo homem na universalidade e multidão de Suas obras." 
4 C - "A onipotência de Deus é limitada somente pelas suas perfeições morais. Deus não pode mentir nem praticar qualquer ato mau, embora tenha o poder."


5 A - "Deus é Onipresente. O Criador, Sustentador e Governador de todas as coisas. Ele também é onisciente, todas as coisas estão patentes diante dos Seus olhos. A sabedoria de Deus é infinita, abrangendo todo o conhecimento e é independente de todas as Suas criaturas." 
5 B - "Não podemos dizer-lhe nada que Ele não saiba, mas Sua inteligente e infinita intuição compreende todas as coisas passadas, presentes e futuras. Essa inteligência é perfeita e absoluta. O homem analisa as coisas para descobrir sua natureza. Deus conhece a natureza sem análise."


6 A - "A presciência de Deus é algo absoluto. Como a presciência de Deus se reconcilia com a responsabilidade moral e livre do homem, é de fato para os homens no mundo um obscuro problema, mas nas Escrituras ambas são claramente ensinados e a fé aceita o que a razão não pode conciliar. " 
6 B - "Algumas Igrejas na Terra têm negado a liberdade moral do homem. Outras mantêm que Deus, no exercício de Sua onisciência, como Sua onipotência, priva-se de conhecer o que Suas escrituras farão sobe certas dadas circunstâncias." 
6 C - "Mas a própria presciência de Deus, não revelada aos homens, não impõe, nem mesmo insinua qualquer curso de conduta a este ou o que quer que seja; em nenhum grau afeta Sua liberdade de ação. O homem não segue o pecado nem a santidade, como um resultado da presciência de Deus; não obstante essa presciência, Ele fez o homem em sua imagem, um ser moral livre." 


7 A - "Deus é infinitamente sábio, sempre sabe o que é melhor, sempre adota meios que melhor cumprirão Seus propósitos. Isto é sabedoria e esta é a arte de usar o conhecimento para o nosso melhor proveito. Tanto na criação quanto na providência, a sabedoria de Deus é vista." 
7 B - "Sua sabedoria e Suas obras em todo lugar confirmam cada uma como sendo de Deus. Jamais se viu ou conheceu mais elevada sabedoria do que a sabedoria de Deus no plano da redenção humana. Soluciona o problema da justiça de Deus em justificar o crente em Jesus Cristo." 


8 - "A perfeita bondade de Deus é vista na benevolência que abraça toda a humanidade e provê para o seu bem estar. Seus tratamentos misericordiosos com os homens declaram Sua bondade; é também vista em Seu imerecido favor, atraindo os homens à salvação e no uso de tantos meios para este fim, também na abundante provisão a qual Ele fez para a felicidade presente e terna do homem." 


9 - "Como o pecado pode existir no mundo, com todas as suas terríveis consequências, em conexão com o governo justo de Deus, é um terrível e difícil problema, cuja completa solução não é possível ao homem em sua vida terrena. Mas o pecado existe, e Deus permite-o, por razões próprias, não completamente reveladas aos homens. No céu não poderia sê-lo. Nenhuma contaminação de pecado pode jamais entrar nos portões desta cidade. Se um anjo novamente pecasse, Deus instantaneamente o lançaria no inferno."


10 A - "Retidão e justiça são perfeições divinas. É santidade exibida no governo. A verdade ou fidelidade de Deus é    muito semelhante à Sua retidão. Tudo quanto Ele diz e faz é verdadeiro. Sua veracidade é um elemento do Seus caráter. Deus não pode mentir."
10 B - "Como Deus é eterno, Sua verdade permanece a mesma. O que quer que seja fora da harmonia com sua verdade revelada, o mesmo é uma mentira. À pergunta: O QUE É A VERDADE? a resposta que repetimos no Céu é verdadeira: Conhecer a Deus como ele tem Se revelado a Si mesmo ao homem é a verdade da mais alta ordem." 
10 - C "Nosso Senhor declarou: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Todas as coisas ensinadas ou cridas, que estão fora da harmonia com Sua clara revelação, são tanto falsas quanto enganadoras." 


11 - "O eterno Deus tem Se revelado a Si mesmo ao homem como pai, filho e Espírito Santo. O Filho de Deus é e sempre foi divino. Ele é a expressa imagem do Pai. Tem havido muitos erros e heresias na Igreja em tempos passados. Mas nós adoramos um Deus Triuno, não confundindo as Pessoas, nem dividindo a substância das mesmas. Pois há uma Pessoa do Pai, outra do Filho e outra do Espírito Santo; Mas a Divindade do Pai, Filho e Espírito Santo é uma só, formando um único Deus.


12 - "Era a palavra de Deus desde a eternidade. No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus e a Palavra era Deus. Enquanto na Terra Sempre O tivemos como divino e O adoramos como Deus; no Céu Ele confessado por todos, tanto santos quanto anjos, ser Deus é igual ao Pai. Todas as hostes do Céu O adoram. Ele era Deus manifesto em carne."


13 - "O Espirito Santo é um com o Pai e com o Filho. Igual em eternidade, poder e glória. Na criação Ele se moveu sobre a face das águas e desenvolveu forma e beleza a partir de desordem e confusão. Ele procedeu do Pai e do Filho, e tomou Sua habitação com sua igreja na terra. Ele sempre esteve com Eles desde Sua vinda no pentecoste. Ele é o consolador, Guia e Santificador do seu povo." 


14 A - "Deus fez o homem reto. Ele era tanto material quanto espiritual e possuía da vida divina, tendo sido feito conforme à imagem de Deus. Ele podia manter comunhão com Deus, com tudo o que é divino, tanto quanto com o universo material." 
14 B - "Ele foi feito um pouco menor do que os anjos, coroado de glória e honra e teve domínio sobre todas as obras das mãos de Deus na terra. Ele era um companheiro de seu Pai e Criador, capaz de admirar, adorar e desfrutar Deus. Apesar de ele ser material e possuir uma natureza animal, quando veio das mão de Deus, ainda assim, era um ser intelectual, moral, puro e santo." 
14 C - "Ele foi posto sob lei, com a vida e a morte dentro de si. Adão rebelou-se; o pecado nasceu na terra. A glória de Deus apartou-se dele. O homem caiu, sentiu sua culpa e foi alienado de Deus. A linhagem da humanidade foi contaminada na sua fonte. O primeiro casal se tornou pecador. Seus descendentes, necessariamente, eram em sua imagem caída e depravada."
14 D - "Portanto, por um homem o pecado entrou no mundo e a morte pelo pecado; assim a morte passou a todos os homens porquanto todos pecaram. Nossa natureza pecou em Adão e a linhagem foi poluída na sua nascente. Essa depravação tornou-se universal por que todas as faculdades e poderes da alma e do corpo foram postas dobe o poder do mal." 


15 - "Nós universalmente cremos que a morte de Cristo foi vicária e propiciatória e que por ela a justiça divina é satisfeita, e Deus pode ser justo e justificador de todos os que creem em Jesus Cristo, e que o perdão e salvação e são gratuitamente oferecidos a todos os homens, mediante arrependimento e fé."


16 - "Cremos que Deus predestinou e idealizou um plano desde a fundação do mundo, pelo qual Ele salvaria o homem, e mais, Ele predestinou desde o princípio, que todos os homens, através das eras, que aceitassem e dispusessem a se conformar com este plano, deveriam ser salvos; de modo que cada um, em harmonia com seu poder e liberdade de escolha, que escolher a vida eterna através do plano de Deus, foi predestinado para a eterna salvação"


17 - "O verdadeiro arrependimento é uma condição da alma diante de Deus, trabalhando pelas operações do Espírito de Deus sobre o coração e alma do homem, pelas quais ele é levado a ver e sentir a sua pecaminosidade e também abandonar inteiramente seus pecados, com o firme propósito de coração de no futuro render-se à obediência a Deus." 


18 - "A justificação pode seguir somente o verdadeiro arrependimento e é um ato de livre graça de Deus na qual Ele perdoa os pecados do homem e o aceita como justo aos Seus olhos, somente por causa de Cristo."


19 - "A verdadeira e genuína fé em Deus crê em tudo quanto Deus tem dito, ordenado, prometida ou ameaçado. É dependente do testemunho, e é tão valiosa para nós como a própria verdade. Podemos crer nos homens. Somos responsáveis pela nossa fé, pois alguém pode crer em uma mentira, do mesmo modo que ele faz com a verdade. Somente a verdade o pode tornar livre. A verdadeira fé salvadora leva a alma a confiar nos méritos todo-expiatórios da morte sacrificial e ressurreição de Jesus Cristo." O CREDO DOS ANCIÃOS


20 - "Adoção é um ato de Deus pelo qual o pecador que crê é recebido na família de Deus, com todos os direitos e privilégios de Seus filhos, nos quais ele se torna um herdeiro de Deus com um direito e garantia a vida eterna."

21- "O novo nascimento, do qual nosso Senhor falou, é aquela poderosa mudança operadora por Deus na alma do homem quando Ele lhe transmite a vida eterna e renova na Sua imagem. Esta mudança é a obra do Espirito Santo realizada no homem, convencendo-o do pecado, e levando-o ao arrependimento e fé, pela qual ele é nascido de cima com a vida eterna como um dom de Deus."